Velho

VelhaJá parou para apreciar a profundidade do olhar de um velho? “Como? Não seria idoso? Melhor idade?”, sinceramente, não! Pode até ser melhor idade em outro país, mas no Brasil, nossos idosos são tratados na maioria das vezes como um peso, algo que necessita cuidados extremados,  como se fossem crianças, não raro acabamos infantilizando-os, uma tremenda falta de respeito. E quanto a palavra idoso, é a antiga história de mudar o nome, mas não resolver o problema.
Entretanto, e os olhos? Há uma beleza inenarrável naquele olhar perdido entre sábias rugas, no interior daqueles olhos repousam um verdadeiro universo de sabedoria e possibilidades, quem convive com um idoso recebe a cada momento, se souber aproveitar, um fluxo de conhecimento de quem já viveu coisas que talvez não viveremos, muitas aventuras, amarguras que ensinaram o bom caminho, e repousa agora sob a tranquilidade que só sabe quem têm este tesouro chamado sabedoria da experiência.
A finitude é o destino de todos os seres humanos, e antes dela, se formos merecedores, desfrutaremos da verdadeira melhor idade, a idade mergulhada em sabedoria, sabedoria que nos ajudará a suportar a falta de educação e prepotência dos mais novos, os desrespeitos do governo, a precariedade da saúde (privada e pública), o frequente abandono da família, e o desprezo social. Quem sabe quando eu chegar na minha velhice, se é que terei a honra, quem sabe será diferente e serei valorizado…!?

Anúncios