Um dia de pessimista…

ImagemO mundo é uma lástima, um oceano inteiro de dissabores onde o homem vai refrescando-se em pequenos oásis de falsas esperanças.

Nosso cotidiano é um suspiro de angústias na vastidão de tragédias que amontoam-se pelo universo, e assim caminha a humanidade feito gado para o fim iminente.

Passamos a vida inteira procurando um suposto grande amor que não suprirá nada, ou uma forma perfeita que como resultado trará outro desejo de ser mais perfeito ainda, e a triste certeza que não passamos de pequenas sombras num espelho maior que é a grande comédia de nossa existência. Viemos aqui para sermos escangalhados, vilipendiados, e julgados a cada instante, pela roupa, pelo humor, jeito de ser, e até mesmo gostos cinematográficos; não temos o direito de fazer o quê der na telha, claro, sempre haverá seres prontos a podarmos de nossa plenitude.

Neste planeta os muitos grilhões prendem-nos ao sofrimento e aos desejos relegando nossa existência a uma imensa roda da fortuna.

Outra ilusão cruel é a da amizade, um grande engodo, não existem amigos na concepção genuína da palavra, podem existir interesses em comum por algum tempo, admiração ou inveja em seus diferentes graus, porém aquela amizade pura é balela, alguns até são sortudos conseguem alguns bons companheiros específicos, e isto também está relacionado ao mecanismo de vantagens.

No fim estamos sozinhos, perdidos e cegos com toda a falsidade deste mundo, e todas as trevas que sugam constantemente nossa luz e graça, essa ilusão quanto mais cedo for destruída mais rápido teremos chances de uma existência um pouco mais honesta para conosco. Pareço extremamente pessimista, entretanto estou apenas sendo realista, e incisivo, estou cansado de uma realidade plastificada, moldada para controlar e oprimir, se constatar o real é cair na tristeza então que seja, não tenho mais forças para lutar contra tudo isto que está aí, eu entrego-me, rendo as armas, para mim acabou, vou viver um dia de cada vez se possível for, todas as minhas crenças no ser humano foram por água abaixo levadas por minhas próprias lágrimas, estou exaurido, destruído e sem esperanças; se fosse permitido eu iria hoje mesmo deste mundo sombrio, contudo não pertence a minha escolha ficar ou partir, sigo daqui mergulhado em minhas dores que aumentam, em meus suspiros, contínuo rezando pelo meu próximo, porém este peso moral atrapalha meu sono, e o nojo de todo este sistema tira minha vontade de caminhar, não há prazer, não há amor ou amizade, só restou o branco, uma imensidão alva sem tons definidores, sem cheiros ou gostos, viver perdeu seus sinônimos e tornou-se um fardo, não compreendo mais a razão de ser de um sorriso, em meu mais profundo sonho quero somente nunca ter existido. Dói-me o simples ato de respirar, olhar para um espelho e constatar que muito foi perdido, jogado e amassado pelas situações, porque isto? Qual o significado daquilo? A paixão é o fogo impulsionador, a fagulha que necessitamos para continuar nossa caminhada rumo ao fim, sem ela resta o frio.

Anúncios

Gostou do texto? Não gostou? Deixe seu comentário aqui! Continue lendo os outros artigos do blog!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s