Os sons

Fonte da foto: naoinercial.wordpress.com

Alguns acreditam que os sons são partes que dependendo de qual origem tenham, podem vir a se perderem na imensidão de dados em nossas complexas mentes. Dizem também que a audição é o último sentido que se vai quando morremos. Poético não?

Barulhos, ruídos, canções, tudo é constituído basicamente de sons, um conjunto de notas musicais também formam uma melodia, uma dezena de instrumentos criam uma sinfonia. Tudo aglutinado, acrescentando vários níveis de decibéis da origem à chamada poluição sonora. Sim, para quem não sabia, fique sabendo que existe poluição causada pelo som. É aquela obra barulhenta; o barulho dos aviões chegando e partindo,  se você, como eu, já morou ou mora, perto de uma aeroporto sabe do que estou falando. Até aquele vizinho “inocente” com seu #bregafunkpagodeaxéclássicopoprockraioqueoparta que não permite seu sono de beleza no domingo, obrigando-o a trabalhar como um bagaço na segunda-feira, está propagando altos níveis de poluição sonora.

Os sons podem ser divinos, não é mesmo? Bach, Schubert, Gonoud,  e muitos grandes compositores, e fazendo justiça cantores atuais, transportam-nos para um universo angelical elevando nossa alma aos confins de um espaço superior. Uma música é um registro vivo de um momento, e meio pelo qual podemos acessar estas memórias. Gostoso relembrar um ponto de nossa vida com uma trilha sonora. Tudo isto é fantástico, pessoalmente falando, para você não?

Nossas vidas são tal qual um grande filme, a película do planeta terra, com todos os gêneros misturados, indo deste o horror ao romance, do épico à comédia, uma grande sessão de cinema cujo fim pode estar próximo, ou muito distante de terminar, uma mídia interativa, onde todos somos atores principais encerrando complexidades de grandes personalidades. Pensando assim, vem a dúvida: quem está assistindo este filme confortavelmente na planteia? Será que somos criticados, ovacionados ou desprezados?, seriam expectadores barulhentos, mal educados, com celulares tocando a toda hora? Ou os únicos sons seriam nossos resmungos, gargalhadas, lágrimas, etc?

Vamos fazer um exercício?

Deite, sente, fique em um local confortável, e imagine o seu quarto, sua casa, o mundo inteiro sem sons? Como seria? Teria alma? Respondam nos comentários!

Anúncios

Gostou do texto? Não gostou? Deixe seu comentário aqui! Continue lendo os outros artigos do blog!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s