Estacionar.

Na vida, às vezes é preciso parar, analisar e escolher o melhor caminho a seguir. Em outras ocasiões tudo parece estagnado, o marasmo parece criar raízes e piorar com os dias. E o que dizer quando é preciso parar seus planos por um tempo indeterminado?

Em várias ocasiões temos que cuidar de um ente querido em tempo integral com dedicação e amor, tanto que como cuidadores deixamos de cuidar de nós mesmos. A Síndrome de Burnout é conhecida como a síndrome dos cuidadores que não se cuidam. O sentimento de compaixão para com os semelhantes possui o poder de anular nosso pior inimigo: o egoísmo. Esta falha é uma chaga que corrói nossa sociedade de dentro para fora e incentiva a manutenção de casulos de interesse: primeiro o meu, depois os do meu entorno, e por último talvez os outros se outro parente não aparecer.

Nesta terra estranha todos são estranhos sujeitos, inimigos subjetivos de todos os que possam nos ameçar o status. Tudo isto segundo alguns estudiosos do evolucionismo dizem ser resquícios da nossa competitividade reptiliana.

Atualmente isto se traduz na ida a estádios e a devoção por um time, a própria competição lembra o período romano e os coliseus onde uma população inteira vestia-se e sentava-se dignamente para assistir alguns desafortunados virarem comida das feras.

Daí vem algumas perguntas:

– Porque ninguém protestava?

– E que diabos de graça tinha ver alguém morrer de uma forma tão desgraçada?

– Não seria melhor pegar o pão oferecido pelos governantes e ir para casa?

O exercício do sadismo e voyeurismo está incrustado no ser humano, basta observar um acidente de trânsito, uma briga ou um incêndio sempre há a reunião de um aglomerado que nada faz senão observar. A tragédia alheia dá-nos satisfação visto que somos perfeitos juízes ordinários e condenadores natos de tudo e todos, hipócritas por natureza, o sublime e o profano convivem em nosso interior como em simbiose profunda, um não pode existir sem o outro. Num momento estamos subindo o mais alto monte da resignação e no outro estamos feito porcos chafurdando na lama de nossas mesquinharias.

Assim ora estacionamos, ora estamos galgando o sucesso de uma sólida carreira. O importante de cada momento é a ponderação da importância que cada momento nos trás. Se estamos inteiros vivendo o momento, e suportando as dificuldades então estamos crescendo, aprendendo a sermos melhores para o futuro, entretanto repito é recessário estarmos totalmente voltados para o agora e entender o porquê deste tempo de parada, este standby pode ser necessário para nosso próprio bem. Que tal aproveitar para estudar, ou colocar a leitura em dia?

Se parou para cuidar de um parente não deixe de olhar um pouco para si também, pois não conseguirá cuidar de ninguém se cair enfermo também.

Estacionar é tão necessário quanto progredir, e faz parte da evolução tanto quanto o progresso. Os saltos são mecanismos importantes, e de tempos em tempos temos reviravoltas inesperadas que mudam nossa situação, em alguns casos não temos controle sobre elas, porém na maioria das situações temos que fazer acontecer.

Anúncios

Um comentário sobre “Estacionar.

  1. é verdade! as vezes acontecem coisas que não temos como fugir, mais temos que pedi a Deus muita força e serenidade, já passei por momentos assim sei o quanto é difícil.

Gostou do texto? Não gostou? Deixe seu comentário aqui! Continue lendo os outros artigos do blog!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s